Acessibilidade
Portal da transparencia

Implantação do Distrito Agroindustrial de Rio Preto da Eva deve iniciar até o final do ano

Com os trabalhos de diagnóstico, previsão orçamentária e estudos de viabilidade e de mercado concluídos, o projeto de implantação do Distrito Agroindustrial de Rio Preto da Eva (Darpe), uma ação intergovernamental entre o município, Governo do Estado e Governo Federal, deve começar a sair do papel até o final. Piloto do plano de expansão da atividade econômica para as cidades do interior, o novo centro de produção e de negócios deve gerar cerca de 10 mil empregos diretos no município com o funcionamento de um polo de agroindústrias, exploração mineral e de turismo, além de um centro técnico de qualificação pessoal.

O projeto do Darpe será apresentado na reunião do Conselho de Administração da Suframa (CAS), prevista para o próximo dia 25, no auditório da autarquia.

De acordo com o cronograma definido pelo grupo de trabalho responsável pela elaboração do projeto, será realizada uma visita a um polo de  produção similar em Goiás para a identificação de erros e acertos. Logo depois será elaborado o projeto executivo. A etapa de execução e gestão do Darpe está prevista para o final do ano.

O desenvolvimento local sustentável e de viabilidade econômica com base no agronegócio e turismo é o princípio que orienta a elaboração do projeto, destacou o secretário de estado de Planejamento Jório Veiga. Segundo ele, o projeto vem sendo trabalhado como uma nova matriz econômica. “Esperamos que sejam abertas oportunidades de melhoria de vida para essas populações”, complementou o secretário.

As metas definidas no projeto, no período de 2020 a 2025, estabelecem uma área delimitada para a atividade agroindustrial, na qual devem operar 50 agroindústria, envolvendo cerca de 5 mil famílias de agricultores locais.

A potencialidade de negócios em Rio Preto vão do processamento de frutas, verduras, pescado, ração e tapioca. Também há viabilidade na produção de charque, tempero caseiro e óleo de buriti, além de abatedouro de suínos.

ODSs

O projeto de criação de centro de negócios em Rio Preto da Eva está alinhado também aos princípios dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODSs) do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), o  qual busca a erradicação da pobreza, educação de qualidade e a promoção do crescimento econômico sustentável, inclusivo, emprego e trabalho.

De responsabilidade da Prefeitura de Rio Preto, o Darpe conta com a parceria de uma rede multiinstitucional que inclui, por parte do Governo do Estado, as Secretarias de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (Seplancti), de Produção (Sepror), de Meio Ambiente (Semas) e de Empresa Amazonense de Turismo (Amazonastur). Por parte do Governo Federal, participam a Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), e os Ministérios do Turismo e da Agricultura e da Economia.