Acessibilidade
Portal da transparencia

Biópolis Amazonas: Natureza para gerar riqueza à população

Proposta ousada, o Biópolis Amazonas, projeto estruturante do Plano Plurianual (PPA 2020-2023) tem a missão de transformar em riqueza o vasto potencial de recursos da biodiversidade do Amazonas. Envolvendo cinco secretarias de Governo, o projeto contempla a criação de um complexo tecnológico com vertente internacional, educacional, cultural e econômica, a partir de cinco eixos de intervenções: Turismo, Mineração Sustentável, Polos Agroindustriais, Agricultura Peri-Urbana e Produção de Proteínas Alternativas, na esfera do desenvolvimento regional. Em Manaus, está previsto a criação de parques tecnológicos, científico e digital.

“O propósito de tudo nada mais é que melhorar a distribuição de riquezas e as condições de vida da população quanto à educação e saúde”, resumiu o secretário de estado de Planejamento Jório Veiga, na abertura da oficina técnica do PPA nesta quinta-feira, na Seplancti. Na definição técnica o Biópolis Amazonas é um conjunto de políticas públicas que tem na natureza a matriz de desenvolvimento socioeconômico sustentável. A busca é pela criação de produtos eficientes conservando o banco genético da região por meio de pesquisa, desenvolvimento e inovação.

Estão à frente do projeto técnicos das Secretarias de estado de Meio Ambiente (Semas), de Produção (Sepror), de Infraestrutura (Seinfra) e de Fazenda (Sefaz), além de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Informação (Seplancti).

Dois desafios foram estabelecidos na definição do projeto: incorporação à  atual matriz econômica (Polo Industrial de Manaus) o desenvolvimento socioeconômico sustentável cuja meta é transformar Manaus em cidade modelo. O outro é incorporar as cidades do interior melhorando as condições de vida, desenvolvendo a economia e distribuindo a riqueza nessas regiões, com meta de transformar esses municípios em “lab-cities”.

 

PARCEIROS

Em Manaus, o projeto prevê a criação de um Polo Digital (PDM), um Parque Botânico e Tecnológico, Bolsa de Valores Verde, Parque Tecnológico e Científico (UEA) e PIM. O secretário Jório Veiga fez questão de destacar a participação da iniciativa privada no projeto. “Vamos buscar parceiros aonde quer que eles estejam”, disse

Os próximos passos, depois da definição do Biópolis Amazonas como programa estruturante do PPA é a criação de um grupo de Trabalho com as secretarias e a elaboração de um projeto executivo. Depois começa a articulação para a captação de parcerias e depois a regulamentação da Lei da Matriz Econômica e Lei de Serviços Ambientais.